sexta-feira, 11 de novembro de 2011

Buenos Aires (:

Meu café de todos os dias lá :)

Eu nunca tomei tanto café no Mac na minha vida...

Até minha saladinha era Mac Donald's

De frente ao Obelísco!

sexta-feira, 4 de novembro de 2011

(..) Chega de viver com a ansiedade no colo e o celular na mão. Não deixe a agenda ocupar - sem querer - o lugar do coração. Respeite sua hora. Desacelere. TURN OFF. Mais do que correr, é preciso saber parar. Não adianta viver no piloto-automático e deixar de sorrir. Nem tirar folga e levar uma enorme culpa dentro da mala. O mundo lá fora exige produtividade e imediatismo. Aqui dentro, corpo e alma pedem menos, muito menos. Como fazer, então, para conciliar tempos tão diferentes? A resposta não está em livros. Mas dentro de cada um. Quer tentar? Respire fundo. Desencane. Perca seu tempo com você! (...)

Fernanda Mello

terça-feira, 1 de novembro de 2011

Show de Tango em Buenos Aires



O show de Tango na Esquina Carlos Gardel em Buenos Aires é simplismente LINDO!! Eu indico!

segunda-feira, 31 de outubro de 2011

lua de Mel em Buenos Aires

Cheguei de viajem a pouco tempo e tenho MUITA coisa pra fazer, por isso vou tentar e atualizando todos os dias com o pouquinho do que conheci nessa cidade tão frenética!
Depois começo com as fotos do Chile, que foi bastante especial também.

Beijos

=*




















sexta-feira, 7 de outubro de 2011

Na teoria tudo é magia. Na prática, as cores se misturam. O amor é uma tela branca, vazia. Cada um coloca sua cor, seu jeito de pintar, seu tom. O amor é uma melodia. O amor é tanta coisa bonita. E incompleta.
-Clarissa Corrêa-

sexta-feira, 23 de setembro de 2011

Cassiane - Louve Sempre






Eu não sei porquê meu coração ta assim..mas que papai do céu derrame suas bençãos em mim.

Hellen Lyu: Lanterna dos Afogados (Paralamas do Sucesso)




Hoje eu tô tão triste..Não sei porquê. Era pra ser um dia feliz, mas tô meia melancólica.

sábado, 17 de setembro de 2011

“...E não se esqueça que no final de tudo quem vive de putaria, leva a fama de CHIFRUDO...” ♪

quinta-feira, 8 de setembro de 2011

METADES (Eduardo Baszczyn)


Porque, há muito, eu erro a mão. A dose. Esqueço a receita do equilíbrio. O quanto uso das partes que brigam dentro de mim. Há muito, eu me confundo.

Porque metade não tem medo e levanta os braços, na descida da montanha-russa. Olhos abertos, enquanto outra acha melhor enfrentar a queda com as mãos na barra. Segurando forte. Espremendo os dois olhos, fechados, desde o começo do percurso.
Metade prefere brincar na beira da praia. No raso. Enquanto outra não vê problemas em pular dezenas de ondas e nadar onde a pequena bandeira vermelha, agitada pelo vento, avisa sobre o risco. Sobre o possível afogamento.

Porque, há muito, eu erro a receita do equilíbrio. Uso a parte que não deveria na hora em que não poderia. Me confundo com as metades que brigam dentro de mim.

Porque parte acelera na estrada, no momento da curva fechada. Pé direito até o fim, enquanto outra freia, bruscamente, ao ver a primeira placa. Seta torta, avisando sobre o perigo.

Metade não suporta a burrice, a pequenez, a lerdeza. Outra, sempre calada, tolera a banalidade. Engole a ignorância. Convive com a mediocridade.

Há muito, eu erro a mão. A dose. Me confundo com o que devo usar. Porque metade briga. Explode. Dedo apontado na cara, enquanto outra se recolhe, quieta, debaixo da cama. No quarto fechado. No tudo escuro.

Metade berra. Outra sussurra.
Tenho uma parte que acredita em finais felizes. Em beijo antes dos créditos, enquanto outra acha que só se ama errado.
Tenho uma metade que mente, trai, engana. Outra que só conhece a verdade.
Uma parte que precisa de calor, carinho, pés com pés. Outra que sobrevive sozinha.
Metade auto-suficiente.

Mas, há muito, eu erro a mão. A dose. Esqueço a receita do equilíbrio. Me perco.

Há dias em que uso a metade que não poderia. Dias em que me arrependo de ter usado a que não gostaria.

Porque elas brigam dentro de mim, as metades. Há algumas mais fortes. Outras ferozes. Há partes quase indomáveis.

Metades que me fazem sofrer nessa luta diária.
No não deixar que uma mate a outra.

quarta-feira, 31 de agosto de 2011

BASE Tracta


Oiiin gentxi!! Tava sumida, por causa da correria, mas aqui estou eu novamente.
Hoje vim falar de umsa base que tenho usado ultimamente da Tracta. Ela é livre de óleo, tem vitamina E, hidratante e cobertura total. Ela é um pouco molhada, mas depois seca e fica super uniforme na pele. Essa eu comprei na Renner e custou uns R$36,00 mais ou menos. QUem quiser experimentar fica a dica.

Beijoooos :*



1ª foto: Sem nada na pele. Acordei horrível nesse dia.

2ª foto: apliquei a base sobre todo o rosto, inclusive nos olhos e boca.

3ª foto: Apliquei um batom da avon cor ameixa e máscara alongadora da avon também, e fiquei pronta pra enfrentar o dia.

quinta-feira, 18 de agosto de 2011

Meu sobre nome é felicidade.


Ando tão feliz que não tenho tempo pra mais nada.
Sabe quando tudo flui?
Sabe quando tudo se realiza em perfeita harmonia? Essa é minha vida no momento.
Não tenho dormido direito pensando em tamanha felicidade. E que bom que está tudo no seu devido lugar.

=*

segunda-feira, 15 de agosto de 2011

Mulherzinha ou macha?


Tem que ser muito macha para conseguir ser mulherzinha. Por favor, não me entenda mal. “Mulherzinha” não é um termo pejorativo. Eu sou mulherzinha com muito orgulho. Choro em filmes de amor, choro no “Lar Doce Lar”, choro no “Arquivo Confidencial”, choro em eliminação do BBB, choro quando me machuco, choro quando fico doente, choro de emoção, choro de tristeza. Sou uma chorona.

Eu sou mulherzinha. Gosto de estar arrumada, cheirosa, com a depilação em dia, com a sobrancelha feita, com a olheira escondidinha. Pequenos mimos me fazem imensamente feliz, preciso que ele me abrace quando a TPM me arrebenta, nunca consigo abrir potes de pepino em conserva sozinha, tenho medo do escuro, não suporto aranhas e considero lagartixas os bichos mais asquerosos que já habitaram este mundo.

Acho muito educado quando ele puxa a cadeira e me sinto uma lady quando ele abre a porta do carro. Mas sou macha o suficiente para fazer tudo isso sozinha e ainda matar baratas, trocar lâmpadas e abrir garrafas de vinho.

Espantada, constato que muitas mulheres gostam da segurança, da boa vida e dos cartões de crédito de seus pares. Já ouvi muita mulher dizer preciso-de-joias-só-vou-em-restaurante-caríssimo. Eu adoro a vida boa. E faço questão de pagar por ela. Mesmo que fique no vermelho. Mesmo que tenha que economizar no resto do mês. Gosto de me sentir segura na cama, quando deito e sinto aqueles braços me envolvendo. Então, respiro fundo, suspiro e durmo em paz.

Gosto de ter com quem compartilhar a vida, as inseguranças, as coisas boas e os problemas cotidianos. Gosto de ter alguém para dar o coração. Gosto de ter alguém que nunca faça com que eu me sinta boba ou burra. Gosto de ter alguém que me respeite. Gosto de emprestar o colo e fazer cafuné. Gosto de levar café na cama. Gosto de dançar junto no meio da sala, com o janelão da sacada aberto e a música invadindo outros apartamentos. Gosto do gosto dele. E do jeito que ele me olha. Gosto do jeito que ele cabe em mim, da forma como eu me encaixo nele.

Gosto da independência. A melhor coisa do mundo é poder pagar pelas minhas bolsas, pelo papel higiênico, pelo anticoncepcional, pela conta de luz, pelo telefone. Acho muito legal casais que dividem a cama, a mesa, o banho e o aluguel. É importante, é maduro, é essencial. Não sou nada fresca, se tiver que sentar no chão eu sento, se tiver que limpar a casa eu limpo, se tiver que bancar todas as contas da casa eu banco.

Sou uma mulherzinha cara, meu coração e meu caráter são meus bens mais valiosos. Sou uma macha barata, gosto de bons restaurantes e brincos de ouro, mas um cachorro-quente feito com amor e aqueles brincos vendidos na beira da praia de Ponta Negra já me fazem feliz.

O que sempre importou (e vai importar) para mim é a lembrança, o cuidado, o carinho, o gesto. O resto é o resto.

Clarissa Correa

quinta-feira, 4 de agosto de 2011

Cada um no seu quadrado


Acho muito chata essa pseudo-cobrança que as pessoas nos fazem diariamente. Se você ainda não tem namorado perguntam quando você vai arrumar um homem para chamar de seu, se você está perto dos trinta perguntam quando é o casamento, se você mora em um apartamento alugado perguntam quando você vai comprar a sua cobertura, se você pinta o cabelo de preto perguntam quando vai voltar a ser loira, se você engorda perguntam quando vai emagrecer, se você pinta sua parede de azul perguntam por que você não pintou de amarelo, se você acabou de casar perguntam quando vão ter um bebê, se você acabou de ter um filho perguntam quando virá o próximo.

Apesar de estarmos em 2011, tem gente que vive em outro mundo. E se você quiser fazer produção independente? E se você for lésbica? E se você gosta de dormir sozinha e bem esparramada na sua cama? E se você não quer casar? E se você acha bacana morar junto só no final de semana? E se você prefere ter animais de estimação ao invés de filhos? E se você quer pintar cada parede de uma cor? E se você quer viver de aluguel a vida inteira? E se você não tem grana para comprar um apartamento? E se você prefere gastar seu dinheiro em viagens? E se você quer raspar a cabeça, ficar careca e usar cada dia uma peruca bem louca?

Parece um crime a gente querer o diferente. Parece errado a gente querer fazer o que os parentes e amigos mais próximos não fazem. Acho um absurdo a gente ter que dar satisfação de sonhos e projetos que na realidade são só nossos. Existem coisas que são só suas. Existem escolhas que só pertencem a você. E fim de papo. E fim de jogo. E fim de tudo.

Ninguém tem o direito de te julgar, de colocar o dedo na sua cara e dizer que o jeito que você vive não é legal. Sempre achei que a vida da gente é uma tela branca. Nela, a gente coloca as cores e formas que quiser. E quem não gostar, azar. E quem não gostar, não gostou.

Procuro manter perto as pessoas que eu gosto e que realmente querem o melhor para mim. E o melhor para mim nem sempre é o que o outro considera o melhor. O jeito que eu levo a minha vida, a forma como eu encaro os meus dias dizem respeito apenas a mim. E mais ninguém. Quem quiser, que embarque nessa comigo. Quem não quiser, que me respeite. E viva a própria vida da forma que bem entender.

@clariscorrea

sexta-feira, 29 de julho de 2011

Salto alto e short andam juntos???


Oláaaa meninas? Bem, o drama de hoje é: -Salto alto e short andam juntos?? Pois bem, todooo mundo sabe que eu adorooo um shortinho com salto, mas ultimamente ta um pouco frio e eu tenho optado por jeans. Apesar de ter total consciência, essa combinação funciona para quem tem pernas finas, e o short não pode ser nem muito curto nem muito justo.




Fica ótimo com camisa de alfaiataria, camiseta e blazer ou camiseta e colete mais longo. Pelo amor de Deus nem pense em usar com tops justos! Sapatos mais pesados como as ankle boots e sandálias modelo anabela dão uma quebrada no “periguetismo”!
Aproveitem meninas e se joguem...

Beijos

=D






segunda-feira, 18 de julho de 2011

Qual a melhor forma de lavar os pincéis??



Oi meninaaas. Hoje eu vim aki no blog falar um pouco sobre como devemos lavar os pincéis. Entãooo, os pincéis são uma ferramenta super importante na nossa maquiagem, pelo menos pra mim, ele são o que há, por isso tento cuidar muito bem deles, para evitar acumulo de bactérias e outras sugeirinhas mas.
Eu particularmente uso os pincéis da Mary Kay, que são o máximo, eu super indico!!!!!
Depois posto um vídeo pra vocês de como lavar os pincéis ok? Mas segue umas dicas aí em baixo. Experimentem!!

Siga os passos abaixo e mantenha os pincéis sempre impecáveis:

1. Molhe o pincel

2. Coloque um pouco de sabonete neutro na palma da mão

3. Esfregue o pincel para frente e para trás em movimentos circulares

4. Enxágue bem

5. Retire o excesso com uma toalha limpa

6. Deixe o pincel secar na posição horizontal em superfície plana. Nunca seque o pincel na posição vertical, a água pode escorrer e danificar o cabo.

quarta-feira, 15 de junho de 2011

Sou eu mesma




Sou filha da pobreza material e da riqueza de espírito. Sou única. Sou sui generis. Sou do terceiro gênero. Sou uma mulher-exclamação. Sou autodidata nafinesse. O que a vida não me deu, eu comprei. À custa de muito tratamento estético, superei o meu determinismo genético. Por isso, não me venham com aquele ditado: “rapadura é doce, mas não é mole não”. Isso para mim não é problema, porque tudo que é duro eu chupo, colega. Se a vida é madrasta, eu sou a filha ingrata. Se eu “venci na vida”? Não, eu “venço a vida” e a coloco no devido lugar, que é embaixo do meu Manolo Blahnik.

quarta-feira, 8 de junho de 2011






Existem amigos e amigos. Nunca me conformei muito com isso, mas é verdade. Tem gente que diz que te adora, jura de pé junto que é sua amiga e na hora H sai de fininho. Tem gente que diz que se identifica demais com você, que é muito parecida com você e na hora que você precisa desabafar a pessoa só sabe falar dos seus próprios problemas e não te ouve.


Desculpa, você não é igual a mim. Eu ouço. Se você tem um problema me desdobro para ajudar (é, eu sou otária mesmo). E me ferro por esperar o mesmo. Sei que preciso entender que ninguém pensa poxa, fulana é tão gente fina comigo, vou ser sempre gente fina com ela. É por isso que hoje em dia não são todos que considero amigos.


Tem muita gente que só sabe pedir, sugar, levar embora o que você tem de bom. Tem gente que disputa desgraças com você. É aquela típica amiga que sempre tem um problema mais sério, uma dúvida mais cruel, algo mais grave. Tem gente que sempre quer ser melhor que você. É aquela amiga que tem a cortina mais bonita, a televisão maior, o sapato mais caro, blábláblá. Acho isso tão cansativo, tão chato, tão mesquinho, tão idiota.


Já tomei muito na cara. Não sou uma amiga perfeita, muito menos uma pessoa pra lá de especial. Erro mesmo, me afastei de alguns amigos depois que comecei a namorar, já fiz coisa errada, mas reconheço, peço desculpa, digo que pisei na bola. E todo mundo se afasta depois que começa a namorar. Tenho pouco tempo livre e o tempo que me resta uso para afazeres domésticos, escrever, organizar minhas coisas, ficar com minha cachorra que tanto amo. Não tenho tempo para fazer jantares todos os dias, para me reunir todos os sábados. Tenho uma vida nem sempre divertida de adulto, mas que eu gosto. E aprendi que para ser amigo não precisa ser colado com Bonder.


Tenho amigos ótimos e queridos que não falo todos os dias, mas que amo e sei que posso contar. Tenho 23 anos. Fiz muitos amigos nos últimos anos, gente do bem que posso contar a qualquer hora. E também conheci muita gente que se diz amiga e que só sorri quando quer, só empresta o ouvido quando quer, finge preocupação e na hora em que você vai desabafar diz que não quer confusão para o lado dela. Isso é amizade? Não, não é. Mas hoje eu sei, ainda bem.

Clarissa Corrêa

quinta-feira, 2 de junho de 2011

Tem look de verão mais desejado que bochecha coradinha do sol? Pra quem não curte praia ,mas também não quer desfilar branquela, copiar esse efeito com blush normal pode ser tarefa bem difícil…

Ontem no backstage da Espaço Fashion eu vi um truque super legal pra conseguir a tão sonhada carinha de saúde! O Robert Estevão tava usando o batom Retro do Duda Molinos como blush, aplicando com o pincel duo fiber pequeno e movimentos circulares. Vale a pena testar, fica um tom de pêssego perfeito e com brilho bem bonito, tipo moça hidratada.

Dica boa hein! hehe Já quero esse batom…

sexta-feira, 27 de maio de 2011

Realizada!!!

Meu Deus, como é bom estar realizada!!! Minha loja inaugurou e foi um sucesso..Obrigada Deus por tudo. Tira todo olho gordo, toda inveja, toda mentira e toda energia negativa.

Só tenho a agradecer.

Obrigada Deus

terça-feira, 10 de maio de 2011

Ando tão ocupada.

Ando tão ocupada que estou sem tempo nem de pensar direito.
Mas sobretudo, ta tudo fluindo.

:*

segunda-feira, 18 de abril de 2011

terça-feira, 12 de abril de 2011

Por onde anda o reconhecimento?


No meio do meu estudo para concusos (Raciocínio Lógico), me vem pensamentos que me deixam um pouco intrigada. Como é que um ser humano qualquer se esforça, dá o sangue, faz tudo, resolve tudo, leva o mundo e a casa na costas e as pessoas mais próximas da sua 'própria' casa não o reconhecem? Como os serem humanos podem ser tão egoístas ao ponto de passarem por cima de outro sem nem ao menos 'perceber' que ele ta fazendo de tudo para que tudo e tudos fiquem bem ou procurem estar bem? Meus Deus, eu me cansei de ver tanta ingratidão, tanta falta de reconhecimento para uns, e tanta valorização para os que acham que merecem. Por onde é que anda o reconhecimento alheio? Por onde é que anda o bom senso? Não sei. Mas sei que as pessoas só enchergam o que REALMENTE elas querem vêr, e eu fico muito 'puta' com isso. Mas não cabe nem a mim e nem a ninguém julgar, me cabe apenas dar valor a quem faz por onde, a quem merece, a quem dá o sangue pra resolver TUDO sem esperar ser reconhecido. Me resta apenas olhar pra Deus e pedir que ele tenha compaixão de tantos seres 'humanos' (se é que posso chamar de HUMANOS)!

segunda-feira, 11 de abril de 2011

Eu sou





Eu sou terrivelmente irritada, mau humorada, impaciente, intolerante, irritável, instável. Mas também sou sensível, amável, cordial, paciente e irritante. Sou extremos, vou de oito á oitenta. Tudo depende do dia, tudo depende do meu humor.

sábado, 9 de abril de 2011

Pra eu me perder de vez nas tuas tintas...



Vamos pra um lounge
Beber um vinho safra ruim
E conversar sobre a TV
Vamos pra longe
Sem se tocar os olhos vão
Se encontrar e se perder
Eu e você assim de perto dá
Pra eu me perder de vez nas tuas tintas
Me dê uma noite um pouco da manhã
Só pra eu sacar se os olhos mudam de cor

sexta-feira, 8 de abril de 2011

"Aí de repente despencou uma baita estrela cadente, quase do tamanho da lua, tão grande que cheguei a parar pra ouvir o tchuááááááááááááááá da estrela caindo dentro do mar. Não aconteceu nada, então falei bem alto, imitando aquela vozinha de taquara rachada da dona Irineide, professora de Geografia: bó-li-dos, isso que o populacho chama de estrelas cadentes na verdade são bó-li-dos. Me senti muito culto e tudo, mas meio sem graça, daí lembrei que podia fazer um pedido, ou três, não sei bem, a gente podia. Então peguei e fiz." Caio F. Uma sexta abençoada a todos! :*

quinta-feira, 7 de abril de 2011

A ansiedade me corrói
o ciúme me tortura
me atormenta
e eu só queria
perder esta mania
de amar as pessoas
até sair sangue...

terça-feira, 5 de abril de 2011



Não é nada, ao mesmo tempo que é tudo. Preciso demais, ao mesmo tempo que não preciso nenhum pouco. E quero, quero, quero, e não quero mais por meses. E espero, e desisto. E passa, passa, passa e nada acontece. Vai e vem para elas, eu fico. Fico, fico, fico. Canso. Dói, passa, penso, preciso, quero. Quero muito, e não quero nunca mais. E acredito, e tenho medo.

sábado, 2 de abril de 2011





Hoje em dia falar eu te amo ficou muito normal, e eu não sou assim, falo quando realmente amo, algumas pessoas precisam de muitas pessoas ao seu redor pra satisfazer seu ego, eu não, eu só preciso de algumas e verdadeiros ao meu lado, isso basta.

domingo, 27 de março de 2011

quinta-feira, 24 de março de 2011

00:07


Pois é. São exatamente 00:07 e eu aqui na frente do pc. Vim direto para o meu blog...estava com saudades de me debruçar no mesmo. Estava até agora assistindo um filme emprestado por uma amiga: CONTOS PROIBIDOS DO MARQUÊS DE SADE. Um drama bem interessante, eu diria até perturbador. Não foi o que eu esperava ao ver a capa do DVD, mas aprendi que não devemos julgar o livro pela capa não é mesmo? Pois bem. O filme terminou e meu celular toca uma musiquinha (CHEGOU NOVA MENSAGEM). Daí eu penso, sms uma hora dessas, de quem será?! Então, não era de quem eu imaginava que fosse, mas era de alguém que eu pudesse esperar mesmo. E o bom, é que a pessoa ainda coloca a msg em inglês, crente que o numero do remetente nao esta mais gravado no meu celular, quando ainda está e eu sei quem mandou. Coisa xata é você receber sms de quem você não quer mesmo. "/
Maaaas, a vida continua. Nada como ir direto para opção EXCLUIR, afinal, temos o poder de apertamos essa tecla quando quisermos.
Em fim, vou ficando por aqui com a esperança de que amanhã será um dia bem melhor que hoje e que eu possa crescer mais e mais.
Ficarei mais bonita também. (:

00:23

sexta-feira, 18 de março de 2011






"Tudo posso ser, minha alma errante e meu espírito livre me dizem somente uma certeza: Sou humano, demasiadamente humano."




(Nietzsche)
Então,
hoje as decisões foram diferentes,
no intuito de mudar, ou ao menos, tentar renascer algo que estava certo e concreto que não existiria mais.
É um balancê, rota que muda.
Estou neutra, -sem- bem me quer, ou mal me quer.
Nada de sorte, a conversa é téte a téte.
Um teste que revelará o que realmente acontece ou padece.
Com o coração em paz.
Sigo lentamente, a procura somente, do que é MEU.

quarta-feira, 16 de março de 2011

Delicinhaaaaaa.
Minha vida ta assim: Um doce!!
Se melhorar mais um pouquinho, fica MELHOR AINDA!!!

Kisses!


quarta-feira, 9 de março de 2011






"Existem duas dores de amor:

A primeira é quando a relação termina e a gente, seguindo amando, tem que se acostumar com a ausência do outro, com a sensação de perda, de rejeição e com a falta de perspectiva, já que ainda estamos tão embrulhados na dor que não conseguimos ver luz no fim do túnel.
A segunda dor é quando começamos a vislumbrar a luz no fim do túnel. A mais dilacerante é a dor física da falta de beijos e abraços, a dor de virar desimportante para o ser amado. Mas, quando esta dor passa, começamos um outro ritual de despedida: a dor de abandonar o amor que sentíamos. A dor de esvaziar o coração, de remover a saudade, de ficar livre, sem sentimento especial por aquela pessoa. Dói também..."


Martha Medeiros

sábado, 19 de fevereiro de 2011




"Nenhum homem é uma ilha, somos todos parte de um continente. A morte de qualquer indivíduo me diminui como ser humano, portanto, não me perguntem por quem os sinos dobram: eles dobram por você."


Ernest Hemingway

sexta-feira, 18 de fevereiro de 2011

Eu não tenho tempo pra mais nada, estudar me CONSOME muito.
E assim eu vou...
Tchal!!!

quinta-feira, 17 de fevereiro de 2011

Um pouco mais de mim, por favor?!






Acordei pedindo um pouco mais de mim hoje, é que ando meio atarefada e penso constantemente no que poderia acontecer (e não acontece), viver de vontades e expectativas não me farão sentir de verdade. Porque tudo que precisa ser real não pode ser abstrato, é preciso ser completo. Viver de quases me faz parecer absorta, me faz descrer na existência do sim, e me submete a aceitar o não. Então pedi um pouco mais de força pra me livrar do que quase foi, e viver do que é de verdade, sem excessões, sem desculpas e quases. Desisto da espera, e vou agora buscar o que quero sem medo. O que poderia acontecer, tanto pode com vai.